Porque não cobramos para PCD?

image_pdfimage_print

TavaneDivino Leitão, responsável por este site é pai de Tavane Costallat Leitão, esta mocinha ai do lado, nascida em 24/07/1991 e que por obra do destino teve uma complicação no parto, o que a tornou PCD.

Para Divino foi a descoberta da existência de um mundo que até então sequer sabia que existia, sempre esteve na sua frente, mas nunca foi dada a ele qualquer importância.

Esta é a maior razão de qualquer atividade que seja feita por Divino Leitão leve em consideração que o mundo das PCDs seja priorizado, da forma que puder.

Mas há outros motivos, em algumas atividades aqueles que são classificados como PCD demonstram que sua eficiência é superior a das pessoas ditas “normais”, sua dedicação é maior e os resultados do uso desta força de trabalho podem ser surpreendentes.

Portanto oferecer gratuidade a estas pessoas para atividades nas quais possam se tornar mais produtivos é muito mais do que uma questão ética, é também uma questão de inteligência, porque esta força de trabalho é muito mal utilizada e principalmente é utilizada de forma inadequada.

Ao oferecer independência profissional a algumas destas pessoas está se deixando de alimentar um terrível círculo vicioso que as coloca em uma qualificação inferior a suas capacidades e com isso perde-se em produtividade e principalmente deixa-se de oferecer uma qualidade de vida que pode ser conquistada por seu próprio esforço.

O curso de Atendente Virtual, um empreendimento que venho elaborando e tentando implantar há muitos anos  é minha homenagem pessoal a minha filha, que por ter problemas cerebrais muito extensos, nem sequer se enquadra no grupo de pessoas que pretendo atender com esta atividade, mas seu sucesso em muitas áreas para as quais foi precocemente considerada inapta demonstra que a maior deficiência de todas as pessoas sempre foi acreditar nas aparências e prognósticos preguiçosos.

E o motivo principal é que sempre acreditei que a melhor ajuda que se pode oferecer a alguém é jogar sua vaquinha no precipício e deixar que se perceba o quanto existe a conquistar além do que se pode ver.

Sobre Divino Leitão

Consultor pedagógico na Escolinha Pernalonga.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe seu comentário.